20 Janeiro 2014

hoje porque não hoje

Há momentos como agora que me apetece escrever. Posso fazê-lo aqui ou noutro sitio, mas agora é aqui que o vou fazer. Diariamente penso que estou bem, que estou feliz, que tal como as coisas estão estão muito bem. Aparentemente tenho o que quero. Mas depois há momentos em que tudo vem abaixo. Afinal o que é que eu quero, estou ou não feliz? Será que apenas tenho a complexidade estranha de nunca estar bem? Será que estou sempre a procura do que não tenho? Será que na verdade me tento enganar? Não gosto destes momentos, em que simplesmente não sei o que quero ou quem sou. Na verdade penso que sei o que quero, e então começa um rodopio de pensamentos e de tristezas, por achar que quero sempre mais, ou então que me tento enganar, dizendo para mim própria que estou bem. É um sentimento de tristeza que entra em mim, que toma conta de mim. Irrita-me ser assim. Digo para mim próprio vive apenas com o que tens, aproveita, na verdade eu não me posso queixar, na verdade tenho muito mais do que muitas pessoas tem, mas falta-me algo. Falta-me a estabilidade daquilo que sempre quis. Não entendo porque tem de ser tão difícil. Não entendo porque nunca dá certo. Agora duvido que alguma vez vá dar certo e começo a desistir, começo a me defender daquilo pelo qual sempre acreditei. É realmente mau sentir isto, achar que toda uma vida eu estava errada, no que sempre foi para mim a minha certeza de vida. Não acredito. Este encantamento está a desaparecer, porque eu estou a fazer força para que desapareça, estou farta de acreditar no que não existe. E tudo isto me faz deixar de ser quem eu sempre fui. Penso que este é o ponto que eu tenho de assimilar de uma vez. Mas custa-me tanto. É tão difícil acreditar que tudo é mentira. E a questão que fica cá dentro é porque? porque não pode ser verdade? Porque não pode ser fácil? Porque não pode?..... Tudo isto são palavras, palavras que nem um 10% do que sinto conseguem descrever, tento por nelas todo este sentimento que me invade mas que eu não gosto, mas embora possam aliviar, não levam embora tudo isto. Apetece-me chorar, apenas adormecer de cansaço para não pensar. só o que não pensa, neste momento é sinal de descanso. ESTOU FARTA!

Etiquetas:

08 Junho 2013

Pensamentos

Desde que este blogue começou muito mudou na minha vida. Hoje voltei a sentir a necessidade de escrever. Talvez porque ninguém venha aqui e como tal posso escrever livremente. Tenho passado estes últimos tempos com bastante tempo para pensar, em especial no que é a minha pessoa, quem realmente sou e o que vai dentro de mim. Todos os dias sinto que não sei responder à questão: quem sou eu? Parece ser uma questão fácil, mas na verdade não é. Depois vem outra questão: o que realmente estou sentindo dentro de mim, que sentimentos tenho? e também não sei responder. Tendo descrever uma lista de sentimento e encontrar respostas certas, mas na verdade não encontro nenhum sentimento que realmente me descreva neste momento. Penso que o principal sentimento é mesmo tristeza profunda, mas quando tento achar a verdadeira causa desta tristeza, não consigo realmente chegar a uma resposta verdadeira, e é então que duvido se realmente tenho tristeza profunda. Será que estou a fugir de responder a estas 2 questões que deveriam ser simples? não sei, umas vezes penso que sim outras penso que não. Então afinal o que será que não está bem? Será que o facto de ter muito tempo para pensar, faz com que não tenha respostas? Será que ando às voltas? É frustrante, imaginar que não me conheço a mim própria e que também não sei o ou os sentimentos que tenho. Mais que frustrante é assustador. Então que soluções podem existir para deixar de estar assim? será que é questão de tempo?Será que é só deixar andar e que tudo voltará a ficar bem? Ou será que na verdade eu não me enquadro onde estou e que não há solução? Todas estas palavras são verdadeiramente horríveis, ninguém deveria ver isto. mas eu estou com necessidade de escrever de deitar cá para fora, mesmo que o que vem cá para fora não passe de um enredo de palavras e pensamentos sem sentido algum.

Etiquetas:

11 Janeiro 2012

Um dia por aqui

Há dias que nos fazem voltar ao passado. Hoje vim cá ver e li um pouco do que já tem tempos tinha escrito, aleatoriamente. Voltei a sentir este como o meu canto, o meu refugio, o meu porto de abrigo. A vida deu voltas, há quem tenha partido, há quem tenha simplesmente desaparecido e há novas pessoas que por cá andam. Será que está melhor? pior? não sei, não sei mesmo responder, apenas sei que existo em mim e mesmo tendo eu mudado, lá no fundo a essência continua igual. Talvez necessite de voltar cá, pelo menos sinto a necessidade de escrever o que aqui dentro vai, e talvez seja essa a verdadeira razão de isto existir, apenas para eu poder falar alto comigo própria. porque o pensamento voa e nem sempre eu o consigo acompanhar, ou porque às vezes muita é a força que faço para que ele não saia, mas depois ele insiste em sair, porque um sentimento negativo pode entrar e destruir....

Etiquetas:

18 Abril 2011

FAz tempo e tempo que não venho cá..

Já nem me lembrava há quanto tempo não vinha cá... mas às vezes sabe quem voltar a casa hehe

Etiquetas:

15 Setembro 2010

Na rua mão dada?

Estava eu a tomar o meu cafe da manhã e vi passar um casal novo de braço um por cima do outro. Então fiquei a olhar, para além do olhar habitual e pensei:

- assim de repente parece que um está a tentar dominar o outro
- a andar assim é mais difícil, pois tem de estar sincronizados
- olha só o sentido de pertença, assim não há duvida que estão juntos
- assim não são uma pessoa por si, mas duas pessoas numa
- olha só o espaço que se poupa por se andar mais chegado
- porque estão de braço dado e não de mão dada? parece mais fácil andar de mão dada

e o pensamento continuou, afinal porque andamos nos de braço dado pela rua??????

Etiquetas:

18 Agosto 2010

Fausto Namoro

Etiquetas:

15 Julho 2010

chega o verão e onde está o algarve

Ao contrario de todos os meus anos de vida, hoje desejo ser uma das n pessoas que vão de férias para o algarve...

Etiquetas: